Seguidores

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Saudosismo de final de ano.

Bom dia, pessoas amadas!
Que a paz do Cristo Jesus esteja com vocês!

Eu pouco falo aqui de como é ser professora e o quanto essa profissão me faz feliz, né?

Apesar dos percalços, claro!

Mas hoje acordei com o despertador me chamando pra ir à academia e desisti, resolvi sentar pra organizar as provas do quarto bimestre. Só que me deu uma vontade de falar o que meu coração insiste em sentir.

Vem comigo conhecer o outro lado da moeda!

Ao final de cada ano, passa uma retrospectiva na minha cabeça, de tudo que vivemos ali naquele espaço e fora dele, de como eles chegaram, as carinhas inseguras com medo de não serem queridos pela nova professora, depois a chegada da confiança, os desabafos, suas carências, frustações, alegrias, conquistas, explosões...tudo vivido ali, junto àquele grupinho de seres humanos sedentos de vida e de conhecimento.

A gente briga!

Chama atenção!

Pára o caminhão que insiste em descer a ladeira sem freio.

Faz parte do aprendizado.

"Não há vida sem correção, sem retificação." - Paulo Freire

Há necessidade de se impor limites.

Mas não no limite de amar, de demonstrar seu afeto, de tocar...

"Amar é um ato de coragem." - Paulo Freire

Ah, tocar...há quem não se permita a esse prazer.

O toque é a entrega da alma e, não me interpretem mal, por favor!

As crianças, quase sempre, estão livres desse pudor e se entregam de corpo e alma.

O toque faz o Homem se multiplicar, porque naquele abraço, no aperto de mão, no beijo na bochecha...você deixa um pouquinho de si no outro.

E por isso, peço a Deus, que o meu "eu" esteja sempre repleto de amor para que eu possa imprimir no outro o melhor de mim.

"Eu sou um intelectual que não tem medo de ser amoroso, eu amo as gentes e amo o mundo. E é porque amo as pessoas e amo o mundo, que eu brigo para que a justiça social se implante antes da caridade." - Paulo Freire

Me despeço com lágrimas de felicidades e com a música que eles irão apresentar na festa de encerrramento.

Daniele Renata

12 comentários:

Néia (Dulci) disse...

Oi Daniele é tão bom saber que ainda há alguém nesse mundo que ama essa sua belíssima profissão e se dedica tanto, de corpo e alma. Parabéns, o carinho refletido pelos bilhetinhos e desenhos dos seus alunos demonstram a sua dedicação e comprometimento.
Beijos

Fê Dutra disse...

DAAAANNNNNNNNNIIIII,
ADOREI!!!!!!
Um dia serei uma professora, assim.
Parabéns por sua sensibilidade. Na adversidade a gente aprende a apurá-la. Afinal, eita profissãozinha de extremos essa nossa.
Um beijo

PAULINHA SALES disse...

Olá amiga Daniele, voltei!!!

Já estou te seguindo...

Pois é amiga, uma carioca do Méier morando no interior da Bahia... E vc, mora no Méier??? Mande-me um e-mail me contando tudo como anda por aí, ok!!! flordechitadeamargosa@hotmail.com Saudades de tudo!!!

Beijinhos Carinhosos...

Paulinha Sales
www.flordechitadeamargosa.blogspot.com

Eneida disse...

Amiga querida, há mesmo muitas pessoas que não se permitem afeto.
Triste isso.
Poderia contar várias histórias próximas.
Gosto muito de crianças.
Já dei aulas também.
Limites são mesmo importantíssimos.
Lendo o seu texto, atrevo-me a te pedir uma opinião.
Ousei esses dias escrever histórias de criança.
Pensei numa coisa pequena, a cada dia, em que as crianças poderiam interagir, sugerir caminhos e/ou temas para a história.
Aí criei um blog, mas na verdade não sei se vou continuar com ele.
Quero sua opinião, se puder, amiga, sobre o que acha da idéia e do projeto.
O link é:
http://tengasonrisa.blogspot.com/
Ainda está fechado, por ser um esboço, mas te convido pra entrar lá e ver o que acha.
Se possível, quero sua opinião sincera.
Obrigada desde já.
Beijo, amiga!

*~* Coisas da Bruxinha *~* disse...

Oi Dani, tenho uma filha profe por vocaçao e sei bem o que é isso, rsss. Parabéns pela dedicaçào .
Obrigada da visita e quando puder venha ao sul, aqui tem cidades encantadoras e vc vai gostar , Gramado e Canela sao lindas em qualquer epoca.
Eu as vezes tb fico enrolada com os comentarios, as vezes escrevo e nao vai, ai que raiva que dá dessa internet que deixa a gente na mao hehhehe.
Bjs minha linda
Leila

Deusa disse...

Dani,pois não e que falei de ti hoje ainda?,vi um Aparador em uma loja do centro e falei para meu marido,tenho uma amiga que comprou coisas lindas em uma loja de São Paulo(esqueci o nome da loja),e ia até procurar seu Blog para mostrar...incrivel,coincidência mesmo.O problema e que salvei Blogs que nem leio e agora fico perdida entre eles,vou arrumar logo logo.
Não fique triste,e uma grande votória conseguir levar estes baixinhos pra mais uma etapa de vida,você e responsável por isto...pela vitória deles.
Bjs
Deusa
vasinhos coloridos

Eneida disse...

Amiga querida, muito obrigada pelo carinho e atenção!
Olha, então acha que ficou legal?
O Miguel gostou?!!!
Qual a idade dele?
Ah, vou continuar escrevendo então.
Fiquei super feliz que queira levar pras outras suas crianças!
Elas poderão comentar no blog, sugerir temas e questionar.
Vou adorar o feed back, amiga, e pode comentar até por lá, que vou sabendo o rumo que as coisas vão tomando.
Você é 10!
Obrigadíssima, querida!
Quero saber mais dos comentários do Miguel e das crianças!
Beijo!

andreia disse...

Que lindo amiga!!!!Deu ate saudade do meu tempo de professora,rs

Adriana disse...

OI, DANI!!! Sou sua mais nova seguidora. Vim parar aqui através do blog da Helena, Dia a dia corridinho. Amei seu espaço aqui na net!!! Ficarei honrada se me seguires tbém.

bjs mil

Pagina da Kika.blogspot.com disse...

Oi, Daniele!
O blazer da MBE p/ C&A não tinha branco, mas era um tom lindo quase bege.
Pena não ter meu número :(

Bjs

Mimo Chic disse...

Querida Dani,
quantas fotos lindas, que mimosas essas crianças, uma benção!
parabens
bjs
Lulu & Sol

Laély disse...

Oi, Daniele!
Içami Tiba e Tânia Zagury batem sempre nessa mesma tecla: educação com limites, limites com amor.
Outro dia comentei no blog uma crônica da Danuza Leão na Cláudia, comparando nossa relação passional com os bichos( ela tem um gatinho) e com as crianças. Com os pequenos, não nos constrangemos abraçar, tocar, fazer carícias, dizer que amamos. Assim, com os bichos. Só que os estes são como crianças, que não crescem nunca.
Obrigada pelo depoimento, lá no blog.
Gostaria de saber qual a sua dificuldade nos comentários, afinal, procuro facilitar ao máximo. Permito todos, desde que passem por moderação prévia, por uma questão de ordem minha.
Talvez a demora em ver os comentários publicados gere uma certa insegurança, mas achei melhor assim, do que abrir o blog e encontrar surpresas desagradáveis nos comentários, embora raras.
Um abraço!